Microsoft deve anunciar novidades sobre realidade mista em outubro

microsoftdeveanunciar

A Microsoft está planejando um evento no mês de outubro para anunciar novidades sobre o Windows Mixed Reality, a sua plataforma de realidade mista.

Conforme relata o MSPoweruser, a empresa está distribuindo convites para o dia 3 de outubro, um dia antes do evento em que o Google deve apresentar os seus smartphones Pixel.

Ainda não está claro o que a empresa planeja anunciar, mas a expectativa é sobre os avanços que a Microsoft teve nas pesquisas em relação a realidade aumentada e virtual. Além de falar mais sobre o visor Windows Mixed Reality, que começará a ser distribuído no dia 17 de outubro, junto com o lançamento da atualização Windows 10 Fall Creators

A Microsoft também já tem um segundo evento marcado para o final de outubro, no qual a empresa deve apresentar um novo dispositivo Surface, possivelmente o novo Surface Pro com LTE.

Fonte: Olhar Digital

 

Anúncios

Backup do Android tem ‘data de validade’ e pode ser apagado sem aviso prévio

backup

O Google tem um recurso de backup do Android, mas ele só funciona enquanto o usuário tiver um smartphone Android. Caso contrário, o backup é apagado dos servidores da empresa.

Um usuário do Reddit reclamou que o Google deletou o backup dos seus dados do Android sem nenhum tipo de aviso. Ele era dono de um Nexus 6P, mas há alguns meses começou a usar um iPhone antigo enquanto buscava um novo smartphone Android para comprar.

Nesse tempo, o backup do Nexus 6P dele foi apagado. Em contato com o Google, ele ouviu do suporte do Drive que não há como recuperar, e o backup está perdido para sempre

O backup do Android oferecido pelo Google não apenas guarda informações pessoais como contatos e calendários, mas praticamente tudo o que você faz no smartphone: ele guarda seus apps, configurações de dispositivos e histórico de chamadas também. Ele é feito automaticamente para todos os usuários do Android que deixam a função habilitada, e o backup é mantido na conta do Google Drive do usuário.

Mas o Google não mantém no ar os arquivos de quem não usa Android. O usuário do Reddit encontrou uma página de suporte do Google que explica que há um prazo de validade para o backup: “O backup só permanecerá se você usar seu dispositivo. Se você não usar seu dispositivo por duas semanas, talvez veja uma data de vencimento abaixo do backup.”

Portanto, quem troca um Android por um iPhone mas quer manter os dados guardados caso decida voltar para a plataforma do Google no futuro tem um problema, já que dependendo do tempo de demora os dados são apagados do Google Drive. O Android Police diz que a contagem regressiva para o fim do backup começa após duas semanas de inatividade no dispositivo, e dois meses após a última vez que ele foi usado os dados são apagados da conta do Google.

Se você usa o recurso e conta com ele para não perder seus dados, é bom dar uma olhada na sua conta do Drive para ver se o Google não está ameaçando apagar seu backup sem avisar.

Fonte: Olhar Digital

 

WhatsApp: como saber se a conta foi hackeada

whatsapp

>>> Como saber se a conta do WhatsApp foi hackeada?

Oi, Ronaldo! Eu li o que você escreveu sobre a clonagem de contas no WhatsApp para aplicarem golpes. Como eu faço para saber se a minha conta foi hackeada? Leandro

 

Olá, Leandro! A clonagem de contas no WhatsApp ocorreu em circunstâncias muito específicas, pois os golpistas tiveram o apoio de funcionários da empresa de telefonia. Eles habilitavam a linha de telefone no chip de celular que estava com os criminosos, e depois configuravam a conta do WhatsApp no aparelho. Para saber se a sua conta foi clonada, siga verifique os seguintes itens:

 

– O sinal da linha de celular será perdido inesperadamente.

 

– O aplicativo exibirá uma notificação alertando sobre a existência de uma conta ativa em outro aparelho.

 

Para se proteger desse tipo de golpe, basta habilitar a autenticação em duas etapas. Os golpes ocorreram com o WhatsApp por ser o aplicativo mais popular, mas isso não significa que outros apps também não possam ser alvos de criminosos. Não é necessário deixar de usar os mensageiros instantâneos, mas é recomendável ativar todos os recursos de segurança que estiverem disponíveis.

 

>>> Como saber se o celular é original?

Olá, Ronaldo! Eu pretendo comprar um celular usado na internet. Como saber se o aparelho é original? Gustavo

 

Olá, Gustavo! É preciso avaliar com cautela os riscos de comprar um aparelho usado de desconhecidos. Existem diversos modelos conhecidos que estão copiados e vendidos como se fossem originais. Essas réplicas podem confundir visualmente os compradores, mas ao manuseá-las é possível identificar os seguintes detalhes para não ser enganado:

 

– Baixa qualidade dos componentes da carcaça e acessórios.

 

– Desempenho inferior, mesmo quando comparado com aparelhos originais com configuração intermediária.

 

– Resolução inferior da tela e da câmera digital.

 

Os aparelhos topo de linha são os mais copiados, e por esse motivo é preciso pesquisar sobre as suas especificações técnicas descritas no site do fabricante e compará-las com o relatório detalhado sobre as configurações do aparelho. Esse relatório pode ser obtido através de um aplicativo chamado Droid Hardware Info.

 

>>> Como habilitar a verificação em duas etapas no Instagram

Como funciona a verificação em duas etapas no Instagram? Jamile Osman

 

Olá, Jamile! O Instagram oferece um recursos adicional para proteger a sua conta, chamado “Autenticação de dois fatores”. Através dessa camada de segurança adicional será preciso informar um código de acesso recebido por mensagem de SMS além de ter que informar a senha cadastrada. Esse código será exigido quando o app for configurado no seu smartphone. Para habilitar a “Autenticação de dois fatores”, siga os passos descritos abaixo:

 

1 – Execute o Instagram, e acesse as configurações.

 

2 – Toque na opção “Exigir código de segurança”.

 

3 – Informe o código recebido por mensagem de SMS.

 

Após habilitado, o Instagram disponibilizará mais alguns códigos que poderão ser salvos no aparelho. Se você perdê-los, bastará solicitar novos códigos repetindo os passos descritos acima.

Fonte: G1

Brecha no Android facilita criação de telas falsas enganosas

brecha no android.jpg

A empresa de segurança Palo Alto Networks publicou um alerta nesta quinta-feira (7) comunicando que especialistas da companhia encontraram uma vulnerabilidade no Android que permite que aplicativos criem telas falsas, que se sobrepõem à tela original, para enganar o dono do telefone. O ataque burla duas proteções existentes no Android para impedir esse tipo de fraude.

A sobreposição de tela é um dos maiores riscos para usuários de Android. Por meio desse truque, um aplicativo aparentemente inofensivo pode colocar um botão em um local específico da tela para que o dono do telefone autorize outras operações.

O problema é mais grave para quem baixa aplicativos fora do Google Play, já que o Android normalmente impede que apps baixados fora do Google Play realizem a sobreposição de tela.

Fórmula do ataque
 Um aplicativo falso pode exibir uma mensagem que diz apenas “para continuar, toque em OK”.

 Quando o botão “OK” é clicado, o usuário está na verdade autorizando a instalação de outro aplicativo ou cedendo direitos administrativos do sistema do celular.

 A sobreposição de tela também pode ser usada para capturar senhas (a vítima estará digitando a senha no aplicativo criminoso, e não no aplicativo legítimo)

Sistema de defesa
Por causa do risco associado à sobreposição de tela, o Android impõe duas limitações para impedir que a maioria dos aplicativos possam consiga fazer essa sobreposição.

1. O aplicativo precisa ter sido baixado do Google Play

2. O aplicativo precisa receber uma autorização especial para “se sobrepor a outros apps”

A brecha encontrada pela Palo Alto Networks permite que a tela seja sobreposta usando um recurso destinado a notificações, o “Toast”. Graças a isso, as duas restrições do Android não se aplicam e qualquer aplicativo que tenha permissões de acessibilidade, mesmo que não tenha sido baixado do Google Play, pode realizar o ataque.

Solução
A vulnerabilidade não está presente no Android 8.0 “Oreo”. Versões mais antigas do Android receberam uma atualização no pacote mensal de correções lançado em setembro. Quem possui um aparelho com Android deve instalar essa atualização quando ela estiver disponível.

Também é possível manter a opção de “instalar aplicativos de fontes desconhecidas” desligada para que apps fora do Google Play não possam ser instalados, o que reduz a exposição a ataques.

Fonte: G1 Tecnologia